Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

Um novo espaço para os escritórios

A nova economia provocou mudanças radicais no mundo dos negócios. Para refletir essa realidade, é preciso repensar os ambientes de trabalho.


Conceber espaços de escritórios sempre foi um desafio para as empresas. Muito mais que planejar a distribuição do mobiliário, é preciso que o espaço atenda as necessidades específicas de cada organização e reflita seu fluxo de trabalho, seu modelo de gestão e sua cultura. Nesse sentido, a ocupação toma dimensão estratégica, já que estes ambientes precisam também acompanhar a evolução cultural, econômica e a maneira como a própria sociedade pensa o trabalho.

A expertise da Jones Lang LaSalle em gerenciar projetos de espaços corporativos para grandes empresas já é largamente conhecida no mercado imobiliário em todo o mundo. Com dezenas de casos de sucesso na bagagem, em 2012, a empresa foi responsável pela gestão de projetos de escritórios no Brasil que totalizaram 107 mil m².

O trabalho é desenvolvido pela área de Gestão de Projetos e Desenvolvimento, responsável pelo gerenciamento do ciclo completo de um projeto, desde sua concepção até a entrega de um empreendimento pronto para o uso, os chamados projetos turn key. Além de espaços de escritório, a empresa também gerencia projetos para hotéis, imóveis industriais e de varejo. Em 2012, a área gerenciou projetos no Brasil que somaram R$ 1 bilhão.

 "Depois da crise de 2008, as empresas passaram a adotar uma postura mais estratégica em relação à ocupação. Na América do Norte e Europa, a preocupação com o ambiente de trabalho é crescente e muitos ocupantes de diversos setores de atividades estão investindo para melhorar seus escritórios, não só com base em custos, mas levando em conta aspectos como reforço de marca, sustentabilidade, produtividade e retenção de talentos", afirma Guilherme de Macedo Soares, diretor da área de Gestão de Projetos e Desenvolvimento da Jones Lang LaSalle.

As estratégias para concepção dos espaços corporativos, chamadas de estratégias de workplace, precisam, necessariamente ser flexíveis, para se alinhar a variações regionais e dar apoio aos processos de trabalho. "Flexibilidade e customização são palavras-chave para estratégias de workplace bem sucedidas. Cada empresa tem uma necessidade, uma cultura, um modo de enxergar o trabalho e seu escritório precisa refletir tudo isso, apoiado pelas ferramentas de tecnologia da informação necessárias", complementa Soares.

Para refletir essa complexidade e a velocidade do mundo dos negócios, que levou à reconfiguração do cotidiano do trabalho nos escritórios, um novo conceito de ambientes corporativos, já utilizado em outros países, começa a ser implantado também no Brasil. São espaços dimensionados para atender necessidades diferentes que o próprio trabalho impõe ao longo de um mesmo dia: às vezes, é preciso de um local silencioso para se desenvolver algum tipo de atividade individual que exija concentração. Às vezes, será preciso estar próximo a outros colegas de trabalho para trocar ideias sobre alguma atividade ou projeto, por exemplo. Há também espaços concebidos para momentos de integração e de relaxamento. Os novos escritórios, apoiados pela conectividade, permitem a mobilidade do funcionário, que já não precisa mais ter uma mesa fixa no escritório.

Por outro lado, as estratégias de workplace precisam dar conta de que estes novos ambientes continuem incentivando o desenvolvimento das relações entre funcionários e o senso de pertencimento, apesar da alta mobilidade promovida pelas novas tecnologias.

"As estratégias de workplace precisarão acompanhar constantemente as mudanças nos processo de trabalho e a evolução da tecnologia. E este é um caminho de mão dupla, já que, por outro lado, as mudanças nos processos de trabalho e a evolução da tecnologia também demandarão constantes upgrades nas estratégias de workplace", finaliza Soares.

Espaços de trabalho na pauta de conferência em São Paulo – A Jones Lang LaSalle estará presente na WORKTECH 13 São Paulo, que acontece nos dias 8 e 9 de maio. No evento, Dinesh Acharya, diretor de Consultoria Estratégica e Workplace Strategy da Jones Lang LaSalle, sediado em Nova York, moderará o Painel sobre o futuro dos ambientes de trabalho, no dia 9, às 12h30.

A WORKTECH é uma série internacional de conferências que reúne profissionais nacionais e internacionais, líderes de mercado e especialistas para discutir temas ligados ao futuro dos ambientes de trabalho. O evento acontece em diversas cidades ao redor do mundo, incluindo Londres, Nova Iorque, São Francisco, Amsterdã, Xangai, Cingapura e Melbourne e terá agora sua primeira edição na América Latina, em São Paulo.

Para mais informações sobre o evento em São Paulo, acesse: http://www.unwired.eu.com/WORKTECH13/saopaulo/