Skip Ribbon Commands
Skip to main content

Notícias

São Paulo

Verizon unifica operações em nova sede em São Paulo

JLL foi a consultoria responsável por todo o processo de mudança para o novo escritório


A Verizon Communications, maior operadora de telefonia móvel dos Estados Unidos e que, no Brasil, oferece serviços corporativos de tecnologia, unificou seus escritórios nacionais e agora ocupa um espaço de 1300 m² no Edifício FL 4300 Corporate, na região da Faria Lima, em São Paulo.

Atenta ao contínuo avanço da computação em nuvem em todo o mundo, a Verizon adquiriu em 2011 a Terremark Worldwide, especializada em armazenamento remoto de dados e serviços baseados em cloud computing. Com a aquisição, a Terremark, também já presente no país, foi integrada às operações locais da Verizon.

Ambas tinham seus escritórios corporativos em São Paulo, a Verizon, na região da Berrini, e a Terremark, na Vila Olímpia. Para auxiliar a Verizon em todo o processo para unificar as sedes, a empresa contou com os serviços da JLL. A consultoria foi responsável por realizar pesquisas de mercado, negociação dos termos comerciais da locação, bem como pelo acompanhamento do fechamento do contrato. A JLL é fornecedora global da Verizon para serviços imobiliários de transações e de facilities.

"A otimização da ocupação é fundamental para as estratégias das empresas em processos de fusões e aquisições, pois além da redução de custos, o espaço é também um fator essencial para ajudar a solidificar a cultura organizacional", explica Rafael Calvo, coordenador da área de Clientes Globais da JLL, responsável por auxiliar clientes internacionais em decisões imobiliárias cross-border.

​A escolha pela Faria Lima, conhecida como uma das mais valorizadas regiões de escritórios na cidade de São Paulo, deu-se por ser uma região com ampla oferta de serviços, infraestrutura e facilidades. Atualmente, a região concentra diversos edifícios de alto padrão, com espaços capazes de atender a demanda de grandes empresas, e tem como principais ocupantes bancos de investimento e empresas de tecnologia. Nos últimos 12 meses, a absorção líquida na região foi de 52.306 m², sendo que apenas 14% do estoque de edifícios de alto padrão continuam disponíveis para locação