JLL prevê que taxa de vacância deva chegar a 23% até o fim de 2020

Projeção é de que haja reavaliações e devoluções de espaços de escritórios em São Paulo.

10 de Julho de 2020

O mercado de imóveis de escritórios em São Paulo deve enfrentar uma maior taxa de vacância em 2020. Projeções realizadas pela JLL apontam que o índice deve atingir 23% na cidade, 2,2 p.p. a mais do que em 2019, que fechou em 20,8%.

Segundo o relatório de mercado de escritórios de alto padrão da JLL do primeiro trimestre de 2020, a vacância era de 19,3% e a disponibilidade de apenas 13,6%, considerando locações que eram previstas para acontecer ao longo deste ano. Contudo, a pandemia de COVID-19 alterou o panorama, impondo às empresas a necessidade de reavaliar seus espaços em vista da adoção maciça ao trabalho remoto e do distanciamento social necessário para o retorno ao trabalho presencial.

Para Monica Lee, diretora de Representação de Ocupantes da JLL, ainda há incertezas sobre como o processo de reentrada acontecerá. Há empresas que já anunciaram o retorno ao escritório apenas no início de 2021, mas também existem aquelas que planejam uma volta gradual no próximo semestre, já adaptando o escritório para receber seus funcionários. “Neste momento, percebemos que as empresas estão avaliando que talvez não seja necessário ter tanto espaço assim e muitos estão em um momento de análise, já com planos para devolver algumas lajes”, explica a executiva.

Série histórica e prevista para 2020

Impactos em 2021

As projeções são de que esta movimentação tenha impactos também em 2021. Com a postergação de locações e com a previsão do aumento das devoluções de escritórios, a vacância na cidade tende a aumentar em 2020, assim como a disponibilidade de espaço na cidade. Há devoluções que só serão contabilizadas no calendário de 2021, devido ao período de aviso prévio e desmobilização.

“O aumento de disponibilidade na cidade pode ser uma boa oportunidade para empresas repensarem sua ocupação e avaliarem seus contratos buscando melhores condições comerciais com preços que tendem a cair, à medida que a vacância sobe na cidade”, lembra Monica.


Sobre a JLL

A JLL (NYSE: JLL) é líder na prestação de serviços imobiliários e em gestão de investimentos. Moldamos o futuro do mercado imobiliário por um mundo melhor, usando as mais avançadas tecnologias para criar oportunidades recompensadoras, espaços incríveis e soluções sustentáveis para nossos clientes, nossas pessoas e todos que nos cercam. A JLL é uma empresa Fortune 500, com receita anual de US$ 18 bilhões em 2019, operações em mais de 80 países e uma força de trabalho de aproximadamente 93 mil pessoas em todo o mundo (em 30 de junho de 2020). JLL é marca registrada da Jones Lang LaSalle Incorporated. No Brasil desde 1996, a JLL tem sede em São Paulo e escritório regional no Rio de Janeiro, contando com uma equipe de cerca de 900 profissionais prontos para atuar em todo o País. Nosso portfólio de serviços no Brasil oferece: Locação | Aquisição e Vendas | Consultoria e Avaliação | Gerenciamento de Propriedades | Gerenciamento de Facilities | Engenharia e Manutenção Predial | Projetos e Obras | Design & Build. Setores de atuação: Escritório | Industrial | Varejo | Hotel | Healthcare | Educação | Data Center | Life Sciences. Para mais informações, visite o site da JLL Brasil,  jll.com.br