Mercado de escritórios do Rio de Janeiro tem desempenho superior a 2019, mesmo com a pandemia

Taxa de vacância permanece menor em relação ao ano de 2019.

17 de Fevereiro de 2021

O mercado de escritórios do Rio de Janeiro encerrou 2020 com taxa de vacância de 39,6%, 1,3 p.p. menor que em 2019, de acordo com a pesquisa First Look, realizada pela JLL. A absorção bruta totalizou 5,9 mil m² no 4º trimestre, encerrando o ano em 93,6 mil m². 

Dentre os novos negócios, 24% foram realizados pelos setores de Utilidades e Serviços Públicos, 16% pelo segmento Financeiro e 6% por empresas de Serviços Digitais. A absorção líquida registrou índice negativo em 15,5 mil m² no último trimestre de 2020 e finalizou o ano em 22,8 mil m². A FINEP e a Defensoria Pública do Rio de Janeiro foram as responsáveis pelo maior volume de devoluções, somando mais de 10 mil m².

Para 2021, há a expectativa de mais de 65 mil m² a serem absorvidos com base em 19 pré-locações já negociadas. A maior parte desse volume, mais de 38 mil m², deve estar concentrada no Porto Maravilha. Não há previsão de novo estoque a ser entregue neste ano na cidade.

Acesse o First Look de Escritórios do Rio de Janeiro do 4º trimestre de 2020 aqui.


Sobre a JLL

A JLL (NYSE: JLL) é líder na prestação de serviços imobiliários e em gestão de investimentos. Moldamos o futuro do mercado imobiliário por um mundo melhor, usando as mais avançadas tecnologias para criar oportunidades recompensadoras, espaços incríveis e soluções sustentáveis para nossos clientes, nossas pessoas e todos que nos cercam. A JLL é uma empresa Fortune 500, com receita anual de US$ 16,6 bilhões, operações em mais de 80 países e uma força de trabalho de mais de 91 mil pessoas em todo o mundo em 31 de dezembro de 2020. JLL é marca registrada da Jones Lang LaSalle Incorporated. Para mais informações, visite jll.com.br