Reportagem

Gestão de Facilities e os benefícios para o setor de healthcare

Segurança e conforto dos usuários são algumas das principais vantagens.

10 de Maio de 2018
Senior female woman patient in wheelchair sitting in hospital corridor with African American female nurse and doctor

Garantir segurança e conforto ao usuário é um dos principais objetivos da Gestão de Facilities. As empresas cada vez mais investem em ambientes acolhedores para que os funcionários e visitantes tenham uma experiência relevante com o espaço físico, transformando-o em um local de convivência e compartilhamento, e não apenas de trabalho.

Essa preocupação em aprimorar a experiência humana é ainda mais latente nas empresas da área da saúde, conforme explica Fátima Bottameli, diretora de Corporate Solutions da JLL. Ela será uma das palestrantes da Hospitalar, evento líder da saúde nas Américas que acontece no final de maio de 2018.

Fátima compartilhará com o público do evento sua experiência com Gestão de Facilities para as empresas farmacêuticas, incluindo escritórios, centros de distribuição, laboratórios e fábricas. No Brasil, a JLL atua em duas frentes no setor:

  • hard service, que consiste na execução da manutenção de infraestrutura predial, como serviços
    de ar-condicionado, hidráulica, elétrica, reparos civis, compliance regulatório, gestão de energia
    e meio ambiente; além de gerenciamento de serviços de manutenção especializados, como geradores,
    nobreaks, elevadores, chillers, sistema de detecção e combate de incêndios, automação predial, circuito
    fechado de TV, entre outros;
  • soft service, que envolve o gerenciamento de todos os serviços de zeladoria e governança, como,
    por exemplo, recepção e concierge, catering, cafeteria, vending machines, reserva de sala de reunião,
    transporte, expedição, arquivo, impressão, documentos etc.

“Abrangemos tudo o que está relacionado à experiência do funcionário para que o dia a dia dele seja o mais confortável e simples possível”, afirma.

Todo esse suporte é baseado em uma plataforma de tecnologia, sourcing estratégico, serviços compartilhados de finanças, de ocupação, gestão de talentos, de riscos e conformidade.

Peculiaridades nas empresas de healthcare

A experiência da JLL de mais de 30 anos em Gestão de Facilities na área de healthcare nos Estados Unidos também pautará a palestra da diretora. O setor de saúde é um dos de maior atuação da companhia na América do Norte, onde a empresa atende mais de 540 hospitais, além de laboratórios e clínicas. Nesses clientes, a JLL prioriza não só a experiência dos funcionários, mas o conforto e a segurança dos pacientes e seus acompanhantes.

Nos Estados Unidos, a consultoria imobiliária é reconhecida como uma das principais do setor no ranking anual da revista Modern Healthcare. Com o apoio da JLL, companhias que operam como centros da vida estão cada vez mais adeptas do Placemaking, a arte e a ciência de criar espaços acolhedores para moldar a interação e o engajamento de pacientes e suas famílias.

Pesquisa recente divulgada pela JLL no mercado norte-americano revelou como a Gestão de Facilities está contribuindo para transformar os ambientes de hospitais, clínicas e laboratórios. O estudo traz os seis elementos de um programa eficaz, que contribui para a alta qualidade dos cuidados:

1. Envolvimento das lideranças
Programas bem-sucedidos contam com o apoio das lideranças do cliente, já que é este grupo que reconhece a conexão entre a gestão de facilities e a qualidade dos cuidados.

2. Programas de Benchmark
As métricas de segurança podem estar em conformidade com as normas regulatórias, mas vale avaliar se é possível fazer melhorias, comparando o desempenho da organização com o de seus pares.

3. Avaliação contínua dos riscos
Uma simples lâmpada queimada em uma escadaria pode impedir a evacuação em caso de emergência, trazendo risco à segurança.

4. Treinamentos periódicos
Manter a equipe treinada sobre as boas práticas faz com que os colaboradores se conscientizem sobre os riscos, as ações adequadas e as oportunidades de melhoria.

5. Ajustes para melhoria contínua
É preciso estar preparado para eventuais mudanças de processos. Por exemplo, um evento pode impactar a gestão da instalação e, eventualmente, exigir rearranjo do mobiliário. Os funcionários deverão estar atentos às questões de segurança, o que inclui verificar se o mobiliário foi colocado de forma segura e a evitar obstáculos.

6. Processos de supervisão
Sistemas automatizados e um repositório de documentação centralizado ajudam a manter o monitoramento, a geração de relatórios e a conformidade dos processos. É importante incorporar ferramentas de tecnologia para uma supervisão rigorosa da gestão e da revisão dos relatórios ao processo de governança.

Um trabalho em conjunto entre a equipe de cuidados clínicos e os responsáveis pelo gerenciamento da infraestrutura contribui com a experiência do paciente e impulsiona o desempenho financeiro das empresas que têm a saúde como foco.