Pontos de vista

Sobre cultura organizacional e liderança

"Apesar de todo e qualquer colaborador ter nas mãos o poder de imprimir algo novo em meio a uma cultura já pré-estabelecida, é papel crucial da liderança apontar qual o caminho para onde se quer chegar, por meio de uma visão clara dos objetivos de curto, médio e longo prazos."

24 de Agosto de 2020

Tenho percebido que discussões sobre temas como propósito e cultura organizacional vêm crescendo ultimamente dentro das empresas. Questões que passam por transformações nos ambientes de trabalho quanto à disposição e à tipologia de seus espaços, em relação aos aspectos físicos, ou ainda quanto à incorporação de novas funcionalidades e estilos de gestão. Estas discussões também ganharam força em virtude do momento que todos estamos vivendo durante esta pandemia global, em que muito se questiona sobre como serão os escritórios do futuro ou, de forma mais abrangente, qual será o futuro do trabalho como conhecemos hoje.

Toda e qualquer mudança, para que seja genuinamente implementada, implicará em estar ancorada em uma estratégia e uma comunicação claras. Colateralmente, implicará também em esforços conjuntos e amplo engajamento por parte de todas as pessoas que virão a ser diretamente impactadas por ela, sejam líderes ou liderados.

Um tema não tão simples de ser encarado, uma vez que a transformação que se busca navega pelo âmbito de pessoas. Quanto maior o número, mais diverso o ambiente e mais complexas as tratativas.

E, afinal, o que isso tudo tem a ver com cultura organizacional?

Por definição, cultura organizacional é tudo o que envolve a rotina de uma empresa e funciona como diretriz para guiar o comportamento e a mentalidade de seus colaboradores. Estamos, portanto, falando sobre hábitos, melhores práticas, símbolos, missão, valores, princípios, crenças etc. No entanto, apesar de todo e qualquer colaborador ter nas mãos o “poder” de imprimir algo novo em meio a uma cultura já pré-estabelecida, é papel crucial da liderança apontar qual o caminho para onde se quer chegar, por meio de uma visão clara dos objetivos de curto, médio e longo prazos.

Sou uma apaixonada por pessoas. Por essa razão, tenho buscado estudar ainda mais sobre esse assunto. Reli recentemente um texto do Edgar H. Schein chamado “Cultura Organizacional e Liderança”, que faz uma análise ampla sobre questões correlacionadas ao tema. Uma leitura um pouco “dura”, pela maneira como o autor vai “dissecando” cada uma das correlações, mas que de forma ímpar, avança exemplificando através de alguns casos de estudos a relevância do papel do líder como gestor da cultura organizacional, com poder para criá-la, modificá-la ou até mesmo destruí-la. E vai além, realçando que cultura e liderança são dois lados da mesma moeda, e que nenhuma das duas pode ser entendida por si só, o que vai diretamente em linha com o que acredito.

Para complementar, ao final ele provê uma série de recomendações a gerentes, como, por exemplo: (1) não super-simplificar a cultura e não confundi-la com outros conceitos úteis, tais como "clima", "valores" e "filosofia corporativa", (2) não assumir que a cultura afeta apenas o lado humano do funcionamento da organização, mas que influi em vários outros aspectos, entre outras.

Acredito muito na cultura organizacional como sendo o principal vetor de engajamento e produtividade dentro das empresas.

Portanto, neste momento de incertezas, é importante voltar as atenções às pessoas por meio do reforço dessa cultura, para que ela se fortaleça ainda mais, assumindo seu lugar de protagonista para tecer novamente a integração de todo grupo, em torno de um propósito único. Vale ainda lembrar que o nível de produtividade está relacionado a quanto uma pessoa se identifica com a empresa e ciente de qual a importância tem seu papel dentro da mesma, e não à quantidade de horas que ela se dedica diariamente.

Eu realmente acredito que conectar o propósito individual de cada um ao propósito das organizações por meio de uma comunicação coesa e eficaz seja a equação ideal para a saúde e o crescimento dos negócios.

E você, já havia parado para refletir sobre tudo isso?
 

Referência bibliográfica: Cultura Organizacional e Liderança - Uma visão dinâmica; Edgar H. Schein -Jossey-Bass Inc. Publishers - San Francisco, CA – 1985; Jayme Teixeira Filho
 

Quer saber mais? Entre em contato:

Luciana Arouca
Gerente de Novos Negócios, Projetos e Obras
Fique por dentro

Receba nossa newsletter