Webinar JLL aborda dilemas da retomada dos escritórios pós-pandemia

Especialistas discutiram os desafios da implementação do “novo normal” no mundo corporativo e as transformações dos locais de trabalho.

14 de Maio de 2020

Com o objetivo de seguir as diretrizes governamentais para mitigar o contágio da COVID-19 e se adaptar ao “novo normal”, estabelecido também com a adesão em massa do trabalho remoto, a retomada dos escritórios se tornou um grande desafio para as empresas. Afinal, tendências foram aceleradas e os processos para um retorno seguro envolvem um complexo gerenciamento dos locais de trabalho e estratégias de workplace.

Para abordar os impasses que envolvem o retorno diante de uma nova estrutura organizacional e o planejamento a curto e médio prazos, levando em consideração as tecnologias que existem a nosso favor para ajudar nesse processo, a JLL promoveu, na última quarta-feira (13/05), o webinar “Dilemas da retomada dos escritórios pós-pandemia”.

Mediado por Guilherme Soares, diretor da Tétris e de Projetos e Obras da JLL, o evento contou com as participações de outros especialistas da empresa no tema, como Luciana Arouca (gerente de Novos Negócios de Projetos e Obras), Monica Lee (diretora e Representação de Ocupantes de Escritórios), Roberta Hodara (especialista em Workplace e Change Management) e Poliana Brandão (diretora de Digital Solutions). 

Assista aos melhores momentos do webinar:

 

No webinar, os participantes traçaram um paralelo entre o período pré-pandemia, em que se apresentavam sinais de retomada do mercado imobiliário, com a redução nas taxas de vacância e uma leve recuperação nos valores, e o cenário atual, tanto no âmbito dos negócios quanto das ocupações dos espaços de trabalho.

“Existe um consenso de que o trabalho remoto e o home office devem permanecer. Isso provavelmente será incorporado à cultura das empresas, que já estão nos contatando para reorganizar os locais de trabalho. Porém, essa é uma solução que deve ser planejada a médio e longo prazos. No retorno, as equipes devem olhar para uma solução partindo de uma análise que norteie sua estratégia de ocupação e reflita seus negócios com estratégias de workplace”, disse Monica Lee.

“Neste momento, antes de qualquer coisa, temos que buscar um discurso alinhado entre liderança e funcionários, escutando as necessidades de cada um, entendendo os valores e o propósito da empresa. Essa equação, combinada com questões de saving e alternativas para elevar a produtividade, leva a uma solução adequada para a empresa”, completou Roberta Hodara.

Um dos focos principais para o retorno aos escritórios será a dinâmica de ocupação dos espaços. Assim como nos ambientes públicos, onde foram adotadas estratégias para evitar aglomerações, as empresas terão de trabalhar na mesma direção. Para isso, será importante que cada companhia obtenha um diagnóstico completo de como utilizar seu local de trabalho a fim de torná-lo seguro e eficiente, o que pode ser feito com o auxílio de tecnologia.

“Uma transformação digital, que deveria acontecer em dois anos, está acontecendo em dois meses.”

Poliana Brandão, diretora de Digital Solutions, JLL

“Empresas que não contavam com uma cultura e um mindset preparados tiveram que se adaptar rapidamente ao novo normal. Em paralelo, é importante entender que existem processos, pessoas e tecnologias, que funcionam como um facilitador. No mercado, há mecanismos tecnológicos que podem auxiliar, por exemplo, no gerenciamento da área de limpeza, sensores em que conseguimos captar a temperatura das pessoas, o volume, os agendamentos e dar autonomia ao usuário. Esse novo normal vai trazer ao usuário a visibilidade do prédio como um todo. A tendência é que você se prepare para ir ao escritório”, analisou Poliana Brandão.

“A gente não vai ter mais a necessidade de ir ao escritório. De maneira geral, deveremos querer ir, porque ele vai funcionar como um hub. A gente sente necessidade de interagir com as pessoas, e nada substitui essa relação olho no olho. A grande mudança será na gestão do comportamento das lideranças e na adaptação das pessoas. O espaço vai passar por essa transformação para um novo lugar”, explicou Luciana Arouca.

Apesar da complexidade que envolve o processo como um todo, cada empresa precisará entender sua realidade dentro do “novo normal”. Seja aumentando ou diminuindo o espaço físico, o caminho para uma análise da estrutura organizacional, do propósito, das necessidades das pessoas e tecnologias que se conectam de forma diferente com as soluções físicas existentes serão parte fundamental para a implementação de novas políticas e modelos de trabalho mais seguros.

“Os escritórios podem ser menores em área de espaço de trabalho. Porém, com mais qualidade, o que significa mais distanciamento e locais de apoio para promover o intercâmbio de ideias e a função social que possuem. Dependendo da empresa, essa conta pode ficar menor, igual ou até mesmo maior. Tudo estará ligado com a cultura da empresa e o estilo de gestão”, pontuou Guilherme Soares. “Todos nós passamos por várias experiências nos últimos meses e, se as pessoas voltarem para o escritório e ele estiver como quando saíram, será frustrante. Então, as empresas terão que acolher as pessoas para uma relação mais próxima com o próprio home office, a que todos se acostumaram. É uma mudança bem ampla”, finalizou o mediador do webinar.  

Quer saber mais?
Entre em contato com os nossos especialistas:

Guilherme Soares
Diretor Executivo, Projetos e Obras
Monica Lee
Diretora, Representação de Ocupantes
Roberta Hodara
Consultora Sênior, Workplace & Change Management
Luciana Arouca
Gerente de Novos Negócios, Projetos e Obras

Sobre a JLL

A JLL (NYSE: JLL) é líder na prestação de serviços imobiliários e em gestão de investimentos. Moldamos o futuro do mercado imobiliário por um mundo melhor, usando as mais avançadas tecnologias para criar oportunidades recompensadoras, espaços incríveis e soluções sustentáveis para nossos clientes, nossas pessoas e todos que nos cercam. A JLL é uma empresa Fortune 500, com receita anual de US$ 18 bilhões em 2019, operações em mais de 80 países e uma força de trabalho de aproximadamente 93 mil pessoas em todo o mundo (em 30 de junho de 2020). JLL é marca registrada da Jones Lang LaSalle Incorporated. No Brasil desde 1996, a JLL tem sede em São Paulo e escritório regional no Rio de Janeiro, contando com uma equipe de cerca de 900 profissionais prontos para atuar em todo o País. Nosso portfólio de serviços no Brasil oferece: Locação | Aquisição e Vendas | Consultoria e Avaliação | Gerenciamento de Propriedades | Gerenciamento de Facilities | Engenharia e Manutenção Predial | Projetos e Obras | Design & Build. Setores de atuação: Escritório | Industrial | Varejo | Hotel | Healthcare | Educação | Data Center | Life Sciences. Para mais informações, visite o site da JLL Brasil,  jll.com.br